Tema 3 - Professor investigador

Questões

Estas questões são apresentadas como possível ponto de partida para a reflexão por parte do grupo:

  1. Que marcos históricos sobressaem de modo mais saliente no movimento da investigação-acção e na noção de professor-investigador?

  2. Quais as principais potencialidades da investigação sobre a nossa própria prática?

  3. A investigação sobre a própria prática poderá ter características específicas, que a diferenciam da investigação académica usual?

  4. Quais os problemas de natureza metodológica e as dificuldades da investigação sobre a nossa própria prática?

  5. Investigar a sua própria prática pode ser considerado um novo paradigmas de investigação educacional?

Bibliografia sugerida

  1. Zeichner, K., & Nofke, S. (2001). Practitioner research. In V. Richardson (Org.), Handbook of research on teaching (pp. 298-330). Washington, DC.: AERA. (CIE)

  2. André, M. (Ed.). (2001). O papel da pesquisa na formação e na prática dos professores. Campinas: Papirus.

  3. GTI (Org.), (2002). Reflectir e investigar sobre a prática profissional. Lisboa: APM. (CIE)

Bibliografia complementar

  1. Alarcão, I. (2001). Professor-investigador: Que sentido? Que formação? In B. P. Campos (Org.), Formação profissional de professores no ensino superior (Vol. 1, pp. 21-31). Porto: Porto Editora. (Ficheiro Word)

  2. Ponte, J. P. (2002). Investigar a nossa própria prática. In GTI (Org.), Reflectir e investigar sobre a prática profissional (pp. 5-28). Lisboa: APM. (Ficheiro Word)

  3. Stenhouse, L. (1984). Investigación y desarrollo del curriculum. Madrid: Morata.

  4. Zabalza, M. A. (1994). Diários de aula. Porto: Porto Editora.