Atenas

 

 

Atenas era uma das cidades mais importante da Grécia. Situa-se no sudeste do país, na planície de Ática. Está cercada pelos montes Parnaso, Pantélico e Himeto e é cruzada por dois pequenos rios, o Cefiso e o Iliso. Atenas fica situada na Ática, península que se prolonga a sudoeste da Grécia Continental.  Sabemos que a Grécia é  atravessada por montanhas que delimitam pequenas planícies fechadas. Cada uma destas formava o centro de um estado grego, ou melhor de uma cidade-estado. Por outro lado, a Grécia é um país marítimo com costas recortadas, numerosas ilhas e portos bem abrigados. Se olharmos para a figura, reparamos na excelente posicão marítima da Ática, terra predestinada para um povo de marinheiros. A região metropolitana é servida pelo porto do Pireu. 

 

 
Clique num sítio entre os limites da cidade de Atenas para visualizar um mapa mais detalhado

 

A parte principal e mais famosa é a Acrópole, sobre a qual se erguem os restos do Partenon, o célebre templo mandado construir por Péricles  no século V a.C. (entre os anos 447 e 438 a.C.), em homenagem a Atena Parthenos, a quem era dedicada a cidade. O templo foi projetado pelos arquitetos Ictinos de Mileto e Calícrates, embora  a sua concepção esteja de certa forma relacionada com o escultor Fídias.

Estima-se que durante o século V a.C., a população de Atenas rondava os   200 000 habitantes, no entanto, mais de 50% eram escravos. Com o aumento da população as habitações foram-se estendendo pouco a pouco para o norte  e nordeste da Acrópole. Era nesta zona que se encontravam os bairros dos artesãos e dos comerciantes. O primitivo agrupamento urbano  estendia-se sobre várias colinas, entre as quais se destacam as de Egaleo, Parnes, Pentélico, Himeto, Licabeto e da Acrópole.

Foi em Atenas, que se desenvolveu o primeiro regime democrático da história, não exactamente uma democracia como as de hoje, mas um regime democrático que diferia bastante dos regimes políticos que vigoravam naquela época. 

Atenas conheceu grande esplendor como cidade-estado durante o governo de Péricles, no século V a.C., mas depois da guerra do Peloponeso (431- 404 a.C.) começou a perder importância política e acabou por cair sob o poder da Macedónia no ano de 338 a.C. e sob o de Roma no ano de 146 a.C..

Foi também em Atenas que o teatro alcançou o seu maior desenvolvimento, tanto sob a forma de comédia, como sob a forma de tragédia. Provavelmente esta última, foi a criação literária mais original e importante dos gregos. Muitas das tragédias então produzidas e que chegaram até nós, são obras universais que atravessaram os tempos e continuam a ser representadas nos nossos dias. Nas peças cómicas notabilizou-se Aristófanes, o autor de "As Nuvens" que representa um quadro vivo e colorido da cultura da época na qual a figura de Sócrates desempenha o papel principal.

Olga Pombo opombo@fc.ul.pt