Prometeu

(Prometeu)

 

Prometeu é um primo de Zeus e filho de Titã, Jápeto. As tradições divergem a respeito do nome da mãe, sabe-se que é uma Oceânide, mas não há certeza se será Ásia ou Clímene.

Era casado com Celeno e dessa união nasceram Deucalião, Lico e Quimereu. Existem autores que consideram Etneu, Hélen e Tebe, também, seus filhos.

Taça Espartana de cerca de 550 a. C.
À esquerda Atlas segura os céus
À direita Prometeu está amarrado a uma coluna enquanto a águia de Zeus lhe despedaça o fígado - um castigo diário.

Prometeu é considerado  o criador dos primeiros homens, o que os moldou em barro (tal como é referido no mito de Prometeu). Mas esta lenda não figura na Teogonia, onde Prometeu é simplesmente o benfeitor da humanidade e não o seu criador.

Foi por amor aos homens que Prometeu enganou Zeus. Primeiro durante o sacrifício solene, dividiu um boi em duas partes, uma era constituída pelos melhores bocados de carne, embora cobertos por pele e osso; a outra, continha os ossos, a gordura, os cascos, as vísceras, mas estava coberta por um excelente naco. Prometeu deu a escolher a Zeus qual a parte que pretendia ver sacrificada e  Zeus escolheu a que de comestível só tinha a cobertura, deixando o resto para os homens. Quando descobre que tinha ficado com os ossos, fica  revoltado com  Prometeu e com os mortais. Para punir os homens deixou de lhes enviar o fogo. Então, Promoteu, para os auxiliar, roubou algumas sementes de fogo «à roda do Sol» e levou-as para a terra, escondidas num caule de férula.

Uma outra versão diz que Prometeu roubou o fogo escondido no Olímpo para entregá-lo aos homens. Fez do limo da terra um homem e roubou uma fagulha do fogo divino a fim de dar-lhe vida. Para castigá-lo, Zeus enviou-lhe a bonita Pandora, portadora de uma caixa que, ao ser aberta, espalharia todos os males sobre a Terra.

Como Prometeu resistiu aos encantos da mensageira, Zeus acorrentou-o a um penhasco, onde uma águia devorava diariamente o seu fígado, que se renovava incessantemente. Jurou ainda que jamais libertaria o traidor. Mas, Hércules que ia a passar na região libertou Prometeu atingindo com uma flecha a águia, terminando assim com o seu sofrimento. Zeus não protestou, mas para que o seu juramento não fosse em vão, obrigou Prometeu a usar um anel feito com as correntes que o prenderam e com um bocado da rocha a que esteve preso. Assim, um elo de aço continuaria a unir o Titã ao penhasco. Foi nessa altura que o centauro Quíron,, ferido por uma fecha de Hércules, desejou morrer por não suportar a dor dos ferimentos. Mas como ele era imortal, teria de encontrar alguém que aceitasse a sua imortalidade em troca da condição de mortal. Foi então que Prometeu aceitou essa troca, tronando-se assim imortal.

Prometeu possuía dons de adivinho. O dom da profecia era comum às antiguidades divinas descendentes da terra, que é profetisa por excelência. Foi Prometeu que ensinou a Deucalião, seu filho, o modo de se salvar do Dilúvio projectado por Zeus para aniquilar a raça humana, catástrofe que ele for capaz de prever.

Olga Pombo opombo@fc.ul.pt