Zeus

(Zeus)

Busto de Zeus É nos poemas Homéricos que é mais amplamente descrita a personalidade de Zeus, principal deus dos gregos, rei dos homens e dos deuses. Deus da luz, do céu claro, do raio. Deus que reina nas alturas luminosas do céu mas que com ele não se identifica.

Na maior parte do tempo, Zeus permanece no cimo do monte Olimpo. Aí não só preside às manifestações celestes como provoca a chuva, lança o raio e os relâmpagos. Sobretudo, mantêm a ordem e a justiça no mundo, distribuindo os bens e os males.

Encarregado de purificar os assassínios da mácula do sangue, vigia pela conservação dos juramentos e pelo respeito dos deveres devidos aos hóspedes. É a garantia do poder real e, em geral, da hierarquia social. Exerce estas prerrogativas em relação aos homens, mas também, no interior da sociedade dos deuses.

Homero, na Ilíada, conta que, na porta do palácio em que Zeus vive no Olimpo, existem duas jarras, uma contendo os bens e outra os males. Zeus tira o conteúdo alternadamente de uma e de outra para cada um de nós. Por vezes tira só de uma delas e o destino que daí resulta é, ou inteiramente bom ou inteiramente mau, que é o que mais se verifica.

Zeus e o Raio Como todos os deuses do Olímpo, Zeus pertence à segunda geração divina. É filho do Titã Cronos e de Reia. Tal como Cronos, era o mais novo da linhagem dos Titãs.

Estátua de Zeus De acordo com Hesíodo, Zeus era o filho mais novo de Cronos e Reia e irmão de Hestia, Demeter, Hera, Hades e Poseidon. Cronos, que uma vez havia derrotado o seu pai, Urano, e tomado para si o poder, ouviu de Geia e Urano que também ele estava destinado a ser derrotado pelo seu próprio filho. Atento ao aviso que poderia salvá-lo do destino cruel, Cronos engoliu todos os seus filhos à medida que nasciam, deixado Reia desconsolada. Por outras palavras, os gregos identificaram magistralmente a tragédia da condição humana, esse destino fatal que faz com que o tempo seja o espaço da morte do homem.

ZeusAo nascer o sexto filho, Reia decidiu recorrer à astúcia e salvar o pequeno Zeus, que acabava de nascer. Deu-o à luz de noite, secretamente e, de manhã, levou a Cronos uma pedra envolta em panos. Cronos devorou a pedra, acreditando que se tratava de uma criança. Zeus estava a salvo e, a partir desse momento, nada poderia impedir a realização dos destinos.

Existem duas tradições distintas relativamente ao local do nascimento de Zeus. A mais corrente situa-o em Creta, no monte «Egeu» ou no monte Ida ou, ainda, no monte Dicte.

zeus_6.jpg (19858 bytes)

Estatua de Zeus sentado no trono, segurando uma águia e um cetro, imitando a Estátua de Zeus no Templo de Fídias, em Olímpia.
Tetradrachma de prata de Alexandre III, cunhado em 295/275 a.C. em Miletos na Ionia.

Longe do pai, rapidamente a coragem e a força de Zeus cresceram. Ao atingir a idade adulta, quis apoderar-se do poder de Cronos. Foi então que pediu ajuda a Métis (a Prudência) que lhe deu uma droga graças à qual Cronos foi obrigado a vomitar as crianças que tinha devorado. Apoiando-se nos irmãos que tinham voltado à vida, Zeus atacou Cronos e os Titãs. A luta demorou dez anos sem que a vitória sorrisse para nenhum dos lados. Até que, seguindo o conselho de Geia, Zeus e os seus irmãos libertaram Obriareos, Kottos e Gyges, que tinham sido presos em poderosos grilhões por Urano, devido à sua força descomunal, estatura e aspecto e colocados debaixo da terra. No final, Zeus e os outros deuses Olímpicos venceram os Titãs que foram expulsos de Céu. Uma vez vencedores, os deuses partilharam o poder, tirando-o à sorte. Zeus obteve o Céu, Poseidon ficou com o Mar e Hades com o Mundo Subterrâneo. Zeus ficou ainda com a preeminência sobre o universo.

Atena Como primeira esposa, Zeus escolheu a mais sábia entre deuses e mortais, Métis. Mas quando esta estava próxima a dar à luz Atena, ele engoliu-a, para que nenhum deus tomasse a sua supremacia. É que, de acordo com os avisos de Geia e Urano, de Métis nasceriam filhos capazes de fazer frente ao pai. Quando chegou o momento do parto, Prometeu fendeu com um golpe de machado o crânio de Zeus de onde saiu, completamente armada, a sua deusa Atena.

Zeus desposou posteriormente com outras deusas: Témis, Dione, Eurínome, Mnemósina e Leto. Também neste momento, segundo Hesíodo, se realiza o casamento oficial com Hera, sua própria irmã. Mas é geralmente considerado muito mais antigo. Deste casamento nasceram Hebe, Iliatia e Ares. De uma outra das suas irmãs, Deméter, Zeus teve uma filha, Perséfone. Além disso, mantinha inúmeras relações com mulheres mortais. Não há uma única região do mundo helénico que não se tenha vangloriado de ter por herói um filho nascido dos amores de Zeus. Assim, quase todas as famílias aristocráticas da Grécia podiam traçar a sua origem genealógica até um descendente de Zeus, o que dava à família maior reputação.

Olga Pombo opombo@fc.ul.pt