Departamento de Educação

 

Departamento de Educação

Licenciaturas em Ensino

 

Licenciaturas em Ensino

Acções Pedagógicas de Observação e Análise I

Docente: Teresa Oliveira

Introdução

A disciplina de Acções Pedagógicas de Observação e Análise I tem por meta fundamental criar um espaço que permita aos alunos das licenciaturas de ensino uma primeira abordagem da articulação/integração entre a vivência das práticas quotidianas nas escolas do ensino básico e secundário e os conhecimentos teóricos que, no âmbito das Ciências da Educação, vão sendo adquiridos no decurso das respectivas licenciaturas. Para que esta articulação seja efectivamente conseguida estão previstas deslocações, com regularidade, a escolas básicas e secundárias.

Nesta disciplina, pretende-se que uma tal articulação seja conseguida fundamentalmente através de uma componente reflexiva que deverá, todavia, ter em conta a componente experiencial, numa perspectiva investigativa.

A Escola - em termos globais - constitui uma área de análise, pelo que será naturalmente um espaço privilegiado de recolha de dados empíricos. Contudo, não deve ser esquecido que a Escola se insere em contextos mais latos como é o caso da Comunidade e do Sistema Educativo. Nesta perspectiva, a obtenção e interpretação de dados relativos à Escola deve ter em conta a realidade envolvente e o Sistema Educativo Português, devendo ser analisada numa perspectiva de futuros professores.

Objectivos:

1- Analisar reflexivamente o Sistema de Ensino Português, nomeadamente no que se refere à organização e funcionamento das Escolas.

2- Observar e reflectir acerca de situações do quotidiano escolar, numa perspectiva investigativa.

3- Conhecer, desenvolver e aplicar instrumentos de recolha de informação e analisar a informação obtida.

Conteúdo programático

Temática a abordar - A Escola: uma realidade a conhecer

1- Espaços e processos reflexivos de análise

1.1- O que Observar?

• Organização e funcionamento da Escola.
• Projectos Educativos de Escola.
• O professor e as suas diferentes funções na Escola.
• Aspectos formais e informais da realidade escolar.

1.2- Como Observar?

• Alguns aspectos da problemática da observação em Ciências Sociais.
• Técnicas e instrumentos de recolha e análise de dados.

2- Processos de análise e de intervenção: alguns aspectos

2.1- Aplicação dos processos referidos no parágrafo 1.2 à realidade empírica das escolas (s.l.) e respectiva análise crítica

Actividades/ Metodologias

• Análise, discussão e elaboração de documentos sobre os diferentes assuntos abordados.
• Deslocação à Escola para recolha de informação sobre a sua organização e funcionamento.
• Observação de situações diversas do quotidiano escolar (aulas de estudo acompanhado, aulas da área de projecto, mediateca, reuniões de directores de turma, reuniões de grupo disciplinar, clubes, etc.).
• Comunicação escrita e oral dos trabalhos desenvolvidos.

O programa será desenvolvido numa perspectiva acentuadamente interactiva envolvendo todos os elementos da turma (e eventualmente outros) pelo que são privilegiadas actividades de trabalho em grupo (restrito e alargado). Tais actividades contemplarão sempre duas vertentes: uma experiencial e outra reflexiva, consideradas numa perspectiva investigativa.

Avaliação

A avaliação, encarada numa perspectiva de processo contínuo, contempla quer a participação dos alunos nas diversas actividades (o que naturalmente pressupõe a pontualidade e a assiduidade) quer os materiais analisados e produzidos durante o desenvolvimento programático.

Haverá a produção de um trabalho escrito elaborado a partir dos dados de observação da Escola que será objecto de análise e discussão, sendo os materiais produzidos apresentados à turma.

Bibliografia

Afonso, A. J., Estevão, C.V. e Castro, R. V. (1999). Projectos educativos, planos de actividades e regulamentos internos. Porto: Asa.

Arends, R. I. (1995). Aprender a ensinar. Lisboa: McGRAW-HILL.

Barroso, J. (1996). Autonomia e gestão das escolas. Lisboa: Ministério da Educação.

Castro, E. (1995). O Director de Turma nas Escolas Portuguesas. O Desafio de uma Multiplicidade de Papéis. Porto: Porto Editora.

Castro, L. & Ricardo, M. (1993). Gerir o trabalho de projecto. Lisboa: Texto Editora.

Deshaies, B. (1992). Metodologia da investigação em Ciências Humanas. Lisboa: Instituto Piaget.

Estrela, A. (1986). Teoria e prática da observação de classes. Uma estratégia de formação de professores. Lisboa: Instituto Nacional de Investigação Científica.

Leite, E, Malpigue, M., & Santos, M. (2001). Trabalho de projecto. Aprender por projectos centrados em problemas. Porto: Edições Afrontamento.

Marques, R. (1989). A Direcção de Turma/ O Orientador da Turma. Estratégias e Actividades. Lisboa: Texto Editora.

Marques, R. (1990). A Escola e os Pais. Como colaborar? Lisboa: Texto Editora.

Marques, R. (1991). A Direcção de Turma – Integração Escolar e Ligação ao Meio. Lisboa: Texto Editora.

Quivy, R. e Campenhoudt, L. (1992). Manual de Investigação em Ciências Sociais. Lisboa: Gradiva.

Silva, A. D. e Pinto, J. M. (1987). Metodologia das Ciências Sociais. Porto: Afrontamento.

Teixeira, M. (1995). O professor e a escola. Lisboa: McGRAW-HILL

Contacto  
 

Departamento de Educação - Faculdade de Ciências - Universidade de Lisboa
Campo Grande, C6, Piso 1, 1749-016 Lisboa
Telefone: 217 500 049/217 500 141 - Fax: 217 500 346. - e-mail: educacao@fc.ul.pt