Departamento de Educação

 

Departamento de Educação

Licenciaturas em Ensino

 

Licenciaturas em Ensino

Metodologia da Biologia

Docente

Isabel Chagas

Introdução

A disciplina de Metodologia da Biologia está intimamente interligada com a disciplina de Didáctica das Ciências, concretizando-se esta relação, quer através da aplicação de conceitos anteriormente adquiridos, quer através do aprofundamento e extensão de temáticas e do desenvolvimento de competências necessárias a uma futura intervenção e reflexão pedagógicas. O conteúdo programático desta disciplina está distribuído por 2 unidades temáticas que se interpenetram ao longo das aulas teóricas e práticas, organizando-se em torno das seguintes ideias centrais: (1) Os problemas levantados no âmbito do actual paradigma do ensino das ciências apontam para soluções que, embora pretendendo resolver o insucesso, não conduzem necessariamente a uma mudança. Tal mudança, que provavelmente implicará uma alteração de paradigma, pressupõe a consideração de resultados de diferentes linhas de investigação na área do ensino das ciências; (2) A planificação do ensino/aprendizagem, envolvendo um trabalho de reflexão pessoal e de discussão e análise em grupo de conhecimentos previamente adquiridos, permite o desenvolvimento de capacidades de criatividade, cooperação e auto-crítica essenciais à futura prática docente.

Objectivos

  • Valorizar o contributo da investigação em educação científica na análise e reflexão dos processos de ensino-aprendizagem.
  • Reconhecer a importância de desenvolver investigação, em ensino das ciências, que integre conhecimentos de vários campos das ciências da educação.
  • Planear um processo ensino-aprendizagem que tenha em conta as suas implicações sociológicas e psicológicas.
  • Atender ao contexto sociológico da sala de aula no planeamento do ensino e nas interacções que se estabelecem.
  • Compreender o alcance da utilização de uma variedade de materiais, actividades e estratégias no processo de ensino-aprendizagem.
  • Conceber textos pedagógicos de aprendizagem e de avaliação.
  • Aperceber-se das dificuldades que podem surgir na aplicação, à situação da aula, de um planeamento previamente estabelecido.
  • Reconhecer a importância do contexto sócio-cultural na aprendizagem, estabelecendo uma relação sistemática entre os domínios intra-individual e inter-pessoal.
  • Seleccionar algumas ideias, de entre as apreendidas, consideradas fundamentais e exequíveis na futura prática docente.
  • Desenvolver criatividade e pensamento crítico e reflexivo.
  • Reconhecer o papel da discussão em pequenos grupos e o papel da discussão alargada no processo de comunicação.
  • Reconhecer a importância do diálogo horizontal, entre os alunos, na discussão ao nível da turma.
  • Consciencializar-se da necessidade de recorrer a diferentes fontes de informação.
  • Reconhecer a importância de uma reflexão e sistematização da informação obtida.
  • Aperceber-se da necessidade de, em cada escola, se proceder a um trabalho de grupo entre os professores da mesma área e de diferentes áreas disciplinares.
  • Reconhecer que qualquer nova metodologia não deve ser aplicada sem prévia análise crítica.
  • Reconhecer a necessidade e a importância de uma permanente auto-formação.
  • Participar activamente nos trabalhos de grupo e nos debates.

Conteúdos

Unidade 1 - A Investigação em Educação e o Ensino das Ciências
  • Linhas actuais de investigação em educação científica: Desenvolvimento cognitivo e exigência curricular - Trabalhos de Shayer e Adey; Conceitos da criança e conceitos da escola; Aprendizagem científica e desenvolvimento metacognitivo; Socialização primária e prática pedagógica.
  • Da investigação à intervenção pedagógica: O construtivismo, a investigação e o conhecimento em educação científica - Dilemas do construtivismo na prática docente; O professor de ciências como inovador - Espaço de intervenção no sistema educativo.
Unidade 2 - Desenvolvimento Curricular e Planificação do Ensino
  • Planificação de unidades de ensino-aprendizagem: Concepção do plano geral da unidade de ensino; Selecção dos conhecimentos e das competências de aprendizagem; Organização das estratégias; Planeamento de instrumentos de avaliação (diagnóstico, formativa, sumativa); Classificação de provas de avaliação.
  • Concretização e análise reflexiva das unidades de ensino-aprendizagem: Simulação de aulas planeadas no âmbito das unidades; Reflexão crítica sobre a concepção e concretização das unidades.

Actividades

  • Análise e discussão de textos.
  • Trabalho de pesquisa de materiais.
  • Realização de trabalhos experimentais.
  • Construção e utilização de meios audio-visuais e 'software'.
  • Construção de fichas de trabalho, testes de avaliação e outros textos.
  • Avaliação de materiais pedagógicos.
  • Simulação de aulas.
  • Trabalho individual, em pequenos grupos e discussões plenárias.

Avaliação

Alternativa 1 (Para alunos regulares, que assistem a, pelo menos, 75% das aulas)

  • Organização (em grupo) de uma unidade de ensino-aprendizagem, organização que deve incluir todo o planeamento da unidade, construção dos materiais necessários (fichas de trabalho, acetatos, testes, etc.), simulação de aulas e correcção de testes - 50%
  • Realização de um teste escrito de consulta* - 30%
  • Participação nas actividades da disciplina (interesse, assiduidade, preparação prévia das aulas, intervenção nos trabalhos em grupo e nas discussões plenárias) - 20%

Alternativa 2 (Para alunos não regulares, que não assistem a, pelo menos, 75% das aulas)

  • Organização individual de uma Unidade de Ensino-Aprendizagem - 40%.
  • Realização de um teste escrito de consulta* - 20%.
  • Exame oral - 40%.

*A passagem nesta disciplina está limitada pela classificação obtida no teste, que não poderá ser inferior a 8 valores, no caso dos alunos regulares e inferior a 10 valores no caso dos alunos não regulares.

Bibliografia

Adey, P., Shayer, M., & Yates, C. (1989). Thinking science: The curriculum materials of the cognitive acceleration through science education (CASE) project. Londres: Macmillan.

Driver, R. (1985). Children's ideas in science. Londres: Open University Press.

Hull, R. (Ed.). (1993). ASE secondary science teachers’ handbook. Londres: Simon & Schuster Education.

Morais, A. M. et al (1993). Socialização primária e prática pedagógica, Vol.II: Análise de aprendizagens na família e na escola. Lisboa: Fundação Gulbenkian.

Morais, A. M., Neves, I. P. et al (2000). Estudos para uma sociologia da aprendizagem. Lisboa: Instituto de Inovação Educacional e Centro de Investigação em Educação da FCUL.

Santos. M. E. (1991). Mudança conceptual na sala de aula: Um desafio pedagógico epistemologicamente fundamentado (2ª ed.). Lisboa: Livros Horizonte.

Selby, D. (1995). Earthkind: A teachers’ handbook on human education. Londres: Trentham Books.

Shayer, M. e Adey, P. (1981). Towards a science of science teaching - Cognitive development and curriculum demand. Londres: Heinemann.

Silva, J. F. (Coord.) (1975). Manual do Professor de Biologia, trad. de BSCS - Biology Teachers´ Handbook. Lisboa: Fundação Gulbenkian.

Windschitl, M. (2002). Framing constructivism in practice as the negotiation of dilemmas: An analysis of the conceptual, pedagogical, cultural and political challenges facing teachers. Review of Educational Research, 72 (2), 131-175.

Manuais escolares portugueses disponíveis no mercado sobre biologia/geologia e áreas afins.

Materiais audiovisuais (videogramas, diapositivos, filmes) e programas de computador do BSCS.

Materiais audiovisuais (videogramas, diapositivos, filmes) e programas de computador construídos pelos alunos em anos anteriores.

Unidades de ensino para o 3º ciclo do ensino básico e para o ensino secundário elaboradas pelos alunos em anos anteriores.

Textos fornecidos no decurso das aulas.

Contacto  
 

Departamento de Educação - Faculdade de Ciências - Universidade de Lisboa
Campo Grande, C6, Piso 1, 1749-016 Lisboa
Telefone: 217 500 049/217 500 141 - Fax: 217 500 346. - e-mail: educacao@fc.ul.pt