Quais as implicações da perda auditiva no desenvolvimento da criança?

As implicações da perda auditiva no desenvolvimento da criança dependem especialmente de dois aspectos:

a do grau de perda auditiva

a da idade em que se verificou

 

A audição é naturalmente medida e descrita em decibéis (db), que é uma medida relativa da intensidade do som. Quanto maior for o número de decibéis necessários para que uma pessoa possa ouvir, maior é a perda auditiva.

 

Na tabela seguinte  mostramos os diferentes graus de perda auditiva e como se classifica.

 

Tipos de perda auditiva 

Grau

Classificação

Perda auditiva ligeira Entre 20 a 40 db

a palavra é ouvida, mas certos elementos fonéticos escapam à criança. Tem, por exemplo, dificuldade em compreender uma conversa a uma distância superior a 3 metros. Aqui a surdez  não provoca atraso na aquisição da linguagem, podem é ter defeitos de articulação e dificuldades em ouvir a voz do professor (são crianças tidas como muito distraídas). Necessitam de ensino de leitura da fala e de estimulação da linguagem. Devem ter também uma colocação adequada na sala de aula.

Perda auditiva média Entre 40 a 70 db

aqui a criança só consegue ouvir a palavra, quando esta é de intensidade forte e tem dificuldades nas discussões em grupo e na aula. Verificam-se algumas dificuldades nas discussões em grupo e na aula. Verificam-se algumas dificuldades na aquisição da linguagem e algumas perturbações da articulação da palavra, e da linguagem, aqui um processo compensador é a leitura labial. Há também necessidade do uso de próteses, de treino auditivo e estimulação da linguagem.

Perda auditiva severa Entre 70 a 90 db

a criança não consegue perceber a palavra normal. É necessário gritar para que exista uma sensação auditiva verbal. Mesmo usando próteses têm dificuldade em distinguir vogais de consoantes. Estes alunos têm algumas dificuldades psicológicas, perturbações na aquisição da linguagem, perturbações na voz e na palavra. Necessitam já de cuidados especiais no treino auditivo, leitura da fala e, estimulação da linguagem. Não podem dispensar as próteses. Pode necessitar de linguagem gestual tanto para se expressar como para compreender os outros.

Perda auditiva profunda Superior a 90 db

em que nenhuma sensação auditiva verbal pode ser captada pela criança espontaneamente. Aqui, é necessário adoptar métodos especiais na estimulação da linguagem e, fazer um treino intenso de maneira a aproveitar os resíduos auditivos. Deve-se recorrer à linguagem gestual.

 

 

Se a criança ainda não domina a linguagem oral, poderá ter grandes dificuldades em adquirir conceitos abstractos. Os diferentes tipos de surdez em relação ao tempo em que ela ocorreu são:

 

Tipos de Surdez

Classificação

Surdez pré-lingual

são os que nasceram surdos ou que perderam a audição antes de terem desenvolvido a fala e a linguagem

Surdez pós-lingual

são aqueles que perderam a audição após o desenvolvimento da fala e da linguagem

 

 

Os professores, pais e educadores que têm filhos ou no seu grupo crianças com dificuldades de audição deve conhecer as suas necessidades educativas para que possa organizar o espaço e actividades de modo a possibilitar a sua integração no trabalho do grupo. 

O seguinte esquema relaciona os graus de perda auditiva com algumas das prováveis necessidades educativas da criança ao nível da linguagem. Não deve esquecer-se, no entanto, que o contexto que envolveu a educação da criança é também muito importante, pois cada criança tem o seu ritmo, motivação e forma própria de aprendizagem. Se tem uma:

 

perda auditiva ligeira:

O pode beneficiar de ajudas auditivas quando a perda auditiva está perto dos 40 db;

O deve dar-se atenção ao desenvolvimento do vocabulário; 

O deve dar-se atenção à localização da criança na sala de aula;

O pode precisar de mais atenção da parte do educador para adquirir uma fala correcta.

 

perda auditiva média:  

O pode beneficiar de ajudas auditivas;

O deve beneficiar de uma localização privilegiada na sala, principalmente nas primeiras idades;

O deve dar-se mais atenção à aprendizagem do vocabulário e da leitura;

O pode ser necessário dar-se mais atenção para que conserve a fala e para que ela seja correcta.

 

perda auditiva moderada:  

O pode beneficiar de ajudas auditivas individuais; 

O terá necessidade de atenção individualizada para a aprendizagem da linguagem, a aquisição de novo vocabulário, leitura escrita,...;

O pode precisar de mais atenção para conservar e corrigir a fala;

O pode precisar de professor de apoio.

 

perda auditiva severa:

O beneficiará com ajudas auditivas individuais;

O pode necessitar de linguagem gestual tanto para se expressar como para compreender os outros;

O precisará de programas com grande ênfase no desenvolvimento da linguagem, na formação de conceitos, na fala,...;

O é vantajosa a integração social e é aconselhável que frequente classe especial ou de apoio especializado;

O deverá ter apoio de terapeuta da fala ou outros técnicos com quem aprenda linguagem gestual.

 

perda auditiva profunda:

O precisará de programas com grande ênfase no desenvolvimento da linguagem, na formação de conceitos, na fala,...;

O deverá ter apoio de terapeuta da fala ou outros técnicos com quem aprenda linguagem gestual;

O pode beneficiar de treino de audição.

 

O sucesso ou insucesso da criança na aprendizagem da comunicação oral e na sua integração não pode ser previsível simplesmente através dos resultados do teste auditivo. A sua capacidade auditiva pode variar de dia para dia. Algumas crianças com alto grau de perda auditiva podem ser capazes de beneficiar de ajudas auditivas individuais  (aparelho auditivo) e podem aprender a falar razoavelmente. Por outro lado, certas crianças com menor perda auditiva não conseguem atingir os mesmos resultados.

ef

É muito importante que o adulto tenha uma atitude realista perante elas: nem excessivamente benevolente nem excessivamente restritivo.

 

As dificuldades auditivas da criança são apenas um dos seus atributos e não a sua característica mais importante. O respeito e a aceitação das diferenças individuais podem ser aprendidos. Leva tempo e exige esforço mas é importante numa situação de ensino/aprendizagem.