Le Corbusier
(1887 - 1965)

 

Charles-Edouard Jeanneret, conhecido por Le Corbusier, nasceu a 6 de Outubro de 1887 em La Chaux-de-Fonds, Suíça, mas viveu a maior parte da sua vida em França. Foi um arquitecto que constituiu um marco muito importante no desenvolvimento da arquitectura moderna. Com a publicação de «Vers une Architecture» (1923) ele adoptou o nome Le Corbusier, e dedicou todo o seu talento e energia à criação da uma nova e radical forma de expressão arquitectónica. Em 27 de Agosto de 1965 morreu afogado no Mediterrâneo.

Viajou pela Europa e na sua passagem pela Alemanha trocou com Peter Behrens alguns conhecimentos sobre a razão de ouro. Depois disso, Le Corbusier foi para Atenas estudar o Partenon e outros edifícios da Grécia Antiga. A forma como os gregos usaram a razão de ouro nos seu trabalhos foi fonte de inspiração para este arquitecto, chegando mesmo a afirmar que foi a forma como os gregos usaram uma escala, a medida grega do homem, que o impressionou.  O livro «Vers une Architecture» mostra uma nova forma da arquitectura baseada em muitos edifícios antigos que incorporam a razão de ouro.

Entre 1942 e 1948, Le Corbusier desenvolveu um sistema de medição que ficou conhecido por «Modulor». Baseado na razão de ouro e nos números de Fibonacci e usando também as dimensões médias humanas (dentro das quais considerou 183 cm como altura standard), o Modulor é uma sequência de medidas que Le Corbusier usou para encontrar harmonia nas suas composições arquitecturais. O Modulor foi publicado em 1950 e depois do grande sucesso, Le Corbusier veio a publicar, em 1955, o «Modulor 2». 

 

«Modulor» 


O sistema Modulor pode ser observado em muitos dos mais notáveis edifícios de Le Corbusier, especialmente na Chapel de Notre Dame du Haut.

 

Chapel de Notre Dame du Haut

 

Este sistema de medição não foi, nem nunca pretendeu ser um método para gerar padrões. O próprio Le Corbusier não o aplicou no desenho de superfícies, preferindo superfícies vazias (amplas e frias) de betão então chamadas "brutalistas". Quando ele o realmente usou, juntamente com o seu assistente Iannis Xenakis, no Mosteiro de Sainte-Marie de la Tourette, criou fachadas casuais, puramente decorativas, e não um padrão.

 

Mosteiro de Sainte-Marie de la Tourette

 

Le Corbusier esforçou-se por usar a espiral de ouro em alguns dos seus trabalhos arquitectónicos mas não obteve um resultado muito brilhante, pelo menos quando comparados com os de outros arquitectos, como é o caso de Tatlin.

 

Um exemplo de um edifício espiral

Torre de Tatlin