Pierre-Simon Laplace

 

 

Nasceu a 28 de Março de 1749 em Beaumont-en-Auge, em França, e morreu a 5 de Março de 1827 em Paris, França.

Entre os 7 e os 16 anos, Laplace frequentou uma escola Beneditina em Beaumont. Aos 16 anos entrou para a Universidade de Caen para estudar teologia e foi aqui, em Caen, que Laplace escreveu o seu primeiro artigo. 

Aos 19 anos, devido à influência de d'Alembert, Laplace foi nomeado professor de uma cadeira matemática na École Militarie em Paris. Em 1773, tornou-se membro da Academia de Ciências de Paris e, em 1785, como examinador do Corpo de Artilharia Real, Laplace examinou e aprovou o jovem, de então 16 anos, Napoleão Bonaparte. Durante a Revolução Francesa, Laplace ajudou a estabelecer o sistema métrico. 

Leccionou Cálculo na École Normale e tornou-se membro do French Institute em 1795. Durante o governo de Napoleão, Laplace foi membro e depois chanceller do Senado e recebeu a Legião de Honra, em 1805. É, no entanto, curioso que, nas suas memórias, Napoleão refere que dispensou os serviços de Laplace, após 6 semanas pois "ele trouxe para o governo o espírito do infinitamente pequeno".

Laplace tornou-se Conde do Império em 1806 e depois, em 1817, foi nomeado Marquês. No final da sua vida viveu em Arcueil, onde ajudou a fundar a Societé d'Arcueil e encorajou o trabalho de jovens cientistas.

Laplace apresentou em "Exposition du systeme du monde" (1796) a sua famosa teoria nebular, que descrevia o sistema solar como o resultado de uma série de contracções e arrefecimentos de uma grande nuvem de gás incandescente, de rotação lenta.

O seu maior trabalho no campo da Astronomia, "Traité du Mécanique Céleste", foi publicado em cinco volumes durante 26 anos (1799-1825) e continha importantes resultados sobre movimentos e órbitas de planetas. Também se dedicou ao estudo de equações diferenciais e da geodesia. Em análise, Laplace introduziu a função potência e os coeficientes de Laplace.

Laplace deu grandes contributos também ao nível da evolução do Cálculo das Probabilidades. 

Deve-se a ele a definição clássica de Probabilidade, expressa na conhecida Lei de Laplace: "a probabilidade de um acontecimento é o quociente entre o número de casos favoráveis ao acontecimento e o número de casos possíveis, supondo que todos os casos são igualmente possíveis". Relativamente a este tema, uma das suas obras mais célebres é o livro "Theórie Analytique des Probabilités" (Teoria Analítica das Probabilidades), que foi publicada em 1812.

Deve-se também a ele, uma evolução na exploração do método dos mínimos quadrados.