Música Ambiente Fractal - "Past Dreams" de Paul Copeland

 

A música fractal, tal como os fractais, é o resultado de um processo repetitivo no qual um algoritmo é aplicado múltiplas vezes para elaborar a sua anterior produção. Numa perspectiva mais ampla, todas as formas musicais, tanto a nível micro como a nível macro podem ser elaboradas por este processo.

Nos dias de hoje, os fractais têm vindo a fornecer resultados extremamente interessantes, por isso cada vez mais se pesquisa em busca de novas músicas. De facto, a música fractal tem vindo a ganhar entusiastas e apreciadores.

Uma ligação entre as artes musicais e a natureza foi finalmente descoberta em 1975 quando Voss e Clark descobriram que uma grande variedade de música de diferentes períodos históricos e culturais, segue a mesma regra:

 «1 / f » (f= frequência), tal como em muitos fenómenos naturais. Isto não só promove uma ligação entre as artes musicais e a natureza como também tem uma grande importância no estabelecimento de princípios, pelos quais se vai reger a beleza e o bom gosto. Este fenómeno « 1 / f » existe algures entre aquilo que é rigorosamente previsível e os fenómenos aleatórios - a maioria dos músicos concordaria até que a melhor música não é demasiado previsível, nem demasiado imprevisível.

 

Assim, uma aplicação visível de que música, natureza e Matemática são três áreas extremamente interligadas, é o facto dos fractais poderem ser convertidos em música, apesar deste ser um processo muito longo e complicado.

Apesar de poder parecer muito estranho, desde há muito tempo que a música e a matemática se encontram associadas. Hoje em dia, os modernos computadores perpetuam essa ligação.

A primeira área em que a Matemática revela a sua influência sobre a música é na escrita das partituras. Depois, o andamento, o ritmo, a duração das notas, tudo isso se relaciona com estudos matemáticos. Também existem muitos instrumentos que têm formas e estruturas relacionadas com vários conceitos matemáticos. Pode ainda dizer-se que a música está relacionada com razões, curvas exponenciais, funções periódicas e ciências da computação.

Deste modo, pode-se concluir, que hoje em dia todos os músicos e matemáticos continuam a desempenhar papéis igualmente importantes na produção e na reprodução musical.

Existem três observações pertinentes que relacionam a música com os fractais:

  1. Uma das características dos fractais que foram encontrados com um relativo interesse musical é a auto-semelhança.

  2. As técnicas analíticas da música clássica de Henrich Schenker reflectem as partes de uma forma musical como estruturas auto-semelhantes.
  3. Certos procedimentos composicionais que constroem o novo material musical através de transformações sistemáticas de certos materiais podem resultar em estruturas musicais claramente auto-semelhantes.

 

Existem vários métodos para converter imagens fractais em música. No entanto, este processo só pode ser feito com recurso a algum do mais avançado software e de tecnologia informática.

De uma forma resumida, pode dizer-se que um dos principais fractais e também aquele que é mais utilizado na criação de música fractal é o conjunto de Mandelbrot.

 

 

Sabemos, pelo que foi referido anteriormente só é possível "fabricar"  música fractal com o auxílio de um computador devidamente equipado com o software necessário. Mas, antes disso, será preciso passar a imagem do fractal para o programa que se esteja a utilizar. Assim, este fractal pode ter um pedaço dele transferido para um quadrado no computador denominado de "pixel". Geralmente, cada "pixel" tem cores separadas. Depois cada cor é transferida para uma nota numa escala musical. Usando estas cores como guias e procurando ao longo da imagem linha por linha, obtém-se uma canção.

Outro método é transferir notas baseadas na localização do "pixel" no visor do computador, na ordem pela qual o fractal foi criado.

Estes são apenas dois dos métodos possíveis para a transformação de uma imagem fractal em música fractal, uma vez que existem muito mais processos. A melhor maneira para converter fractais em música depende do fractal que se está a converter, pois todos eles actuam de uma forma diferente.

Vendo as coisas deste ponto de vista, pode até parecer extremamente simples a produção de música fractal; e se bem que é verdade que qualquer um de nós a poderia fazer com o auxílio de programa informático indicado, também não é menos verdade que tudo aquilo que está "por detrás" do programa ultrapassa em muito os conhecimentos de um mero curioso. Existe algo em comum em todos os programas que convertem o fractal de Mandelbrot em música: todos eles se regem pelo mesmo processo iterativo que dá origem a este belíssimo fractal.

 

Apenas a título de curiosidade, pode acrescentar-se que existem três tipos básicos de "barulhos": barulho branco, 1 / f-barulho e Brownian motion barulho.

Em qualquer tipo de música, tirando a pontuação musical e relacionando todas as notas ponto por ponto, obtém-se um gráfico semelhante a 1 / f (com f a frequência). Consequentemente, 1 / f-barulho é, de todas, a forma mais agradável para o ouvido humano. 

Barulho branco é o acaso, como por exemplo, o barulho encontrado na transmissão de dados devido às imperfeições das linhas.

Brownian motion barulho é um tipo de barulho matemático, muito utilizado para criar geradores de números pseudo-aleatórios.

 

Mas, a curiosidade propriamente dita, reside no facto de a maioria dos fractais, quando é convertida em música, dar origem a 1 / f-barulho, o que significa que a grande maioria da música fractal gerada pelos modernos computadores se traduz numa melodia "bastante agradável" para os ouvidos humanos!

Mas apesar disso, podemos sempre querer saber mais e, principalmente, devido às características do homem enquanto ser nos dias que correm, à sua ganância, mas também a sua vontade de querer saber sempre mais sobre tudo o que o rodeia, irá conduzir-nos a um nunca mais parar de experiências e de experimentações, que nos levarão a descobrir muito mais. Mas para além de tudo isto, convém não esquecer uma coisa: um dia a música fractal pode vir a ser usada frequentemente! Inclusivamente, existem já alguns músicos profissionais a usar música fractal, como é exemplo a "New World Chaos", uma banda de música fractal, ou a "Omar´s Basement", uma banda de jazz que em 1995 actuou na Austrália com uma música de 4 minutos em que a bateria, o baixo, a guitarra e o saxofone foram tocados por pessoas e o piano sintetizado foi tocado por um computador que tinha um programa fractal. Portanto, quando menos se esperar, a música fractal poderá ainda vir a desempenhar um papel na nossa sociedade igual ou até maior do que o do rock, do pop ou do jazz, entre outros estilos musicais.

Um dos compositores que mais se tem dedicado a este mundo maravilhoso é Phil Thompson, hoje o mais conceituado autor de música fractal.

Este estilo de música desperta diferentes reacções, determinadas pessoas adoram este tipo de música, outras acham-na melódica, outros ainda, acham-na óptima para a mente, muito semelhante ao trabalho de Mozart - a nossa mente é mantida sempre a pensar e a adivinhar o que se seguirá. Convém salientar que, outros há que detestam esta música, acham que esta possui falta de originalidade e de criatividade.

 

 

É necessário deixar aqui um aviso: NUNCA SE DEVE OUVIR MÚSICA FRACTAL DURANTE LONGOS PERÍODOS DE TEMPO.

Foi descoberto e está provado que pode hipnotizar quem o faça e pode mesmo fazer com que a nossa mente ande à "deriva" numa imagem fractal, o que pode causar sérios danos ou pode mesmo ser fatal.

 

Faça o Download de Algumas Músicas Fractais

 

Voltar à Galeria de Fractais