wpe75.jpg (11431 bytes)

 

    Um paliteiro e uma barra de sabão são exemplos de objectos de uso comum de forma prismática.

    Um prisma é um sólido geométrico limitado por duas bases (polígonos iguais) situadas em planos paralelos e várias faces laterais (paralelogramos).

    Num prisma, o número de faces laterais é igual ao número de lados dos polígonos da base, isto é, é igual ao número de arestas da base.

    A designação do polígono da base vai dar o nome ao prisma. Assim:

fig_3.gif (50242 bytes)

   Prisma recto é um prisma que tem as arestas laterais perpendiculares às bases.

    Prisma oblíquo é um prisma em que as arestas laterais não são perpendiculares às bases.

    Prisma regular é um prisma recto em que as bases são dois polígonos regulares.

 

    Se todas as faces são quadrados, o prisma é um cubo.

    Se todas as faces são paralelogramos, o prisma é um paralelepípedo. Em qualquer paralelepípedo as faces são paralelas duas a duas.

fig_10.gif (58353 bytes)

 

    Num prisma temos os seguintes elementos:

fig_2.gif (20943 bytes)

 

Mnemónica:

    Para conhecer o número de faces, arestas e vértices do prisma vamos relacionar com o polígono da base.

    Exemplo: prisma pentagonal. O polígono da base tem 5 lados, então:

     N.º de faces: 5 + 2 = 7

     N.º de arestas: 5 ´ 3 = 15

     N.º de vértices: 5 ´ 2 = 10

 

 

    Para aprender a determinar a área da superfície de um prisma recto, podemos utilizar como exemplo um prisma triangular cuja planificação se apresenta a seguir:

fig_30.gif (21940 bytes)fig_31.gif (61020 bytes)

 

    A superfície lateral do prisma encontra-se sombreada a vermelho, e a sua área, a que se chama área lateral do prisma e se representa por Al, é dada por  Al = (a + b + c). h , sendo h a altura do prisma, ou seja, a distância entre as bases. Sombreada a cinzento está a superfície correspondente às duas bases. Representando a área de cada base por Ab, teremos então que a área total do prisma será At = Al + 2Ab .

    Quanto ao cálculo do volume do prisma (recto ou oblíquo), este é igual ao volume do paralelepípedo (justificação pelo Princípio de Cavalieri). Consideremos um paralelepípedo e um prisma com a mesma altura, e em que a base do paralelepípedo tem a mesma área que a base do prisma.

    10.gif (12043 bytes)

    As secções feitas nestes dois sólidos por um plano paralelo às bases são polígonos com a mesma área, e portanto, pelo princípio de Cavalieri, estes dois sólidos têm o mesmo volume. Sendo assim, o volume do prisma é dado pela expressão V = Ab × h .

Planificação:

fig_11.gif (17553 bytes)

plan_prisma2.gif (24190 bytes)

 

 

 

BOTAOVOLTAR.GIF (904 bytes)

Voltar a POLIEDROS