Um dos lendários sete sábios da Grécia, viveu entre os séculos VII e VI a. C., na cidade de Mileto, importante metrópole grega da Ásia Menor. Imortalizado por vários feitos nos domínios da astronomia, da geometria e da engenharia, teve como preocupação principal a determinação da causa primeira do mundo e, por isso, foi considerado por Aristóteles como o primeiro filósofo.

Não sendo seguro que tenha escrito alguma obra, pouco se conhece sobre o seu pensamento, tendo-nos apenas chegado as seguintes afirmações: «A terra flutua na água, que é de certo modo a origem de todas as coisas», «Mesmo os seres aparentemente inanimados podem estar vivos» e «O mundo está cheio de deuses».

A escassez de elementos não permite caracterizar de uma forma muito mais ampla o pensamento de Tales.

Um dos aspectos fundamentais da mentalidade científico-filosófica inaugurada por Tales consistia na possibilidade de reformulação e correcção das teses propostas. À estabilidade dos mitos arcaicos e à estagnação das esparsas e as sistemáticas conquistas da ciência oriental, os gregos, a partir de Tales, propõem uma nova visão de mundo cuja base racional fica evidenciada na medida em que ela é capaz de progredir, ser repensada e substituída. Assim é que, já nos meados do século VI a.C., a chefia da escola de Mileto passa a Anaximandro. Introdutor na Grécia e aperfeiçoador do relógio de sol (gnomom), de origem babilónica, foi também o primeiro a traçar um mapa geográfico.

Click para voltar